Cajazeiras/PB sábado , 27 de fevereiro de 2021

Crueldade

Com requintes de crueldade, mãe mata a filha de 5 anos e arranca olhos e língua da criança com tesoura

Um crime bárbaro foi registrado pela Polícia Militar na tarde desse domingo, 24, no Povoado de São Cristóvão, em Maravilha, […]

Um crime bárbaro foi registrado pela Polícia Militar na tarde desse domingo, 24, no Povoado de São Cristóvão, em Maravilha, Sertão de Alagoas. De acordo com a polícia, uma mãe que teria transtornos mentais matou a filha, uma menina de apenas 5 anos, e arrancou os olhos e a língua da criança com uma tesoura.
A informação foi confirmada pelo 7º Batalhão da PM, que atendeu a ocorrência no interior alagoano. O avô da menina teria acionado a polícia após a mãe se trancar no banheiro com a própria filha. Quando os militares chegaram na residência, encontraram o corpo da menina, com os órgãos próximo ao corpo, e a mãe bastante transtornada.

De acordo com o delegado Carlos Reis, a mãe da criança estava rezando quando os policiais chegaram ao local.
Segundo Reis, que é gerente de Polícia Judiciária da Região 4 (GPJ-4), a criança ainda teve parte da língua arrancada e, possivelmente, também os olhos, com uma tesoura.
 “Quando os militares chegaram ao local, a mãe estava rezando”, disse o delegado, acrescentando que a primeira suposição é de que o crime foi praticado durante um surto psicótico da mulher. Essas informações foram publicadas na manhã de hoje no site da Polícia Civil.
A mulher foi identificada como Josimare Gomes da Silva, de 30 anos, e levada para a Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, onde foi autuada em flagrante pelo delegado plantonista, Walter Fontes.
O delegado regional de Santana do Ipanema, Hugo Leonardo, disse que a mulher será transferida para a Delegacia Regional de Santana, responsável pela área onde ocorreu o crime, e, posteriormente, levada para o presídio feminino Santa Luzia, em Maceió. Ele acrescentou que o inquérito sobre o caso será presidido pelo delegado distrital de Maravilha, Diego Nunes. 
A Polícia Civil vai aguardar o laudo médico-legal para que se confirme, exatamente, as causas da morte da criança, inclusive, se parte da língua e os olhos dela foram realmente arrancados.


Fonte Ítalo Monteiro