Cajazeiras/PB quinta-feira , 22 de outubro de 2020

Arcebispo

Corpo de Dom Aldo Pagotto ficará refrigerado até resultado de exame para Covid-19

O corpo do arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, ficará refrigerado no hospital onde morreu, em Fortaleza […]

O corpo do arcebispo emérito da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, ficará refrigerado no hospital onde morreu, em Fortaleza (CE), nesta terça-feira (14), até que o resultado do exame que atesta ou não a infecção pelo coronavírus seja divulgado. Segundo a Arquidiocese de Fortaleza, a previsão é que o resultado saia ainda nesta quarta-feira (15). Dom Aldo estava internado na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital particular da cidade após o agravamento de uma crise de insuficiência.

Se for confirmado que Dom Aldo estava infectado com a Covid-19, o corpo deve seguir direto para o sepultamento, seguindo as normas das autoridades sanitárias e de saúde do Estado do Ceará e da Prefeitura de Fortaleza.

De acordo com a Arquidiocese da Paraíba, o religioso apresentava sintomas semelhantes ao da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, mas não há confirmação da infecção. O G1 tentou contato com a Secretaria de Estado de Saúde do Ceará para saber se o caso foi notificado, mas não conseguiu contato.

Em nota, a Unimed Fortaleza informou que Dom Aldo foi internado devido a um quadro de pneumonia no hospital no dia 1° de abril e morreu nesta terça-feira (14), às 14h, em decorrência de infecção respiratória.

Segundo a Arquidiocese de Fortaleza, Dom Aldo enfrentava um tratamento contra um câncer e na noite de segunda-feira (13) apresentou dificuldade respiratória, sendo entubado e transferido para a UTI.

Dom Aldo morreu aos 70 anos, em Fortaleza, onde viveu desde que renunciou o cargo de arcebispo e exercia o ministério no Santuário São Benedito, no centro da capital cearense.

Dom Aldo Pagotto

Dom Aldo era natural de Santa Bárbara d’Oeste, interior de São Paulo. Foi ordenado presbítero em 1977 e bispo em 1997, no Ceará. Esteve na Diocese de Sobral até 2004, quando veio para a Paraíba. Ele esteve à frente da Igreja Católica na região de João Pessoa por 12 anos, e deixou o cargo em 2016 alegando motivos de saúde.

G1 CE