Publicada em 10 de abril de 2019 - 17:29

CPI do IPAM aponta: Gestões de Carlos Antônio, Léo Abre/Carlos Rafael e Denise deixaram de cumprir obrigações com instituto

O relatório da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que apurou rombo milionário de mais de R$ 70 milhões do IPAM […]

camaraO relatório da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que apurou rombo milionário de mais de R$ 70 milhões do IPAM (Instituto de Previdência e Assistência) do município de Cajazeiras, foi apresentado na sessão de terça-feira (10), da Câmara Municipal.

Formada pelos vereadores: Eriberto Maciel (Presidente), Rivelino Martins (Relator) e Jucinério Félix (membro), a CPI tentou levantar o grande rombo do instituto, e durante 180 dias buscou informações e dados numéricos com relação às gestões passadas. Com muita dificuldade especialmente de dados, sendo possível apenas de 2.000 a 2.016, a CPI também não teve o total apoio financeiro do legislativo para a contratação de uma equipe técnica.

De forma um tanto tímido, e sem tantas informações ou dados, o relatório deixou de detectar possíveis desmandos ocorridos ao longo do tempo no instituto. Mas, o relator Rivelino Martins (PSB), ao apresentar as informações possíveis, lamentou a atual situação do IPAM ocasionada pela falta de cumprimento das obrigações por parte dos gestores: Carlos Antônio (2000/2008), Leonid de Sousa Abreu (2009/2010), Carlos Rafael (2011/2012) e Denise Oliveira (2013/2016). No decorrer dos anos foram feitos inúmeros parcelamentos aprovados pelo legislativo local, mas, sem o cumprimento dos mesmos.

Após a conclusão, o vereador afirma que entregará o relatório final ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado buscando punição aos ex-gestores responsáveis.

 

 

Portal CZN