Cajazeiras/PB segunda-feira , 27 de junho de 2022

Esporte

Craques do passado: Lamar, o rei do Sertão e o amuleto do Litoral

Quando o baixinho Lamar chegou para ajudar o Atlético de Cajazeiras que capengava no Campeonato Paraibano, em 2003, ninguém poderia […]

Quando o baixinho Lamar chegou para ajudar o Atlético de Cajazeiras que capengava no Campeonato Paraibano, em 2003, ninguém poderia imaginar que aquele jovem cearense de 23 anos iria conseguir escrever uma linda história no futebol da Paraíba. Pelo Trovão, pelo Botafogo-PB e, mais tarde, pelo Nacional de Patos, Lamar brilhou e deixou saudades por onde passou. Colecionou títulos e atuações que agradaram os torcedores. Rápido e habilidoso, Lamar foi um dos bons nomes do início do século no futebol da Paraíba. Foi protagonista no Sertão e fundamental em segundos tempos no Litoral. 

O início foi para lá de promissor, no Atlético de Cajazeiras. No decorrer do primeiro turno do estadual, Lamar chegou para o time comandado por Jorge Luiz, que lhe conhecia do Ceará. O Trovão Azul era o atual campeão paraibano e defendia o título naquela temporada. Mas tinha pela frente um grande time do Botafogo-PB, com Miltinho, Durval, Maurício e Nilson Sergipano. 

“Minha história com a Paraíba começou em 2003, através do técnico Jorge Luiz, que foi quem me colocou no futebol. Ele me ligou e apresentou o projeto, e eu devia essa a ela. E eu caí como uma luva nesse time. Chegamos já ganhando, do Treze, em Campina Grande. Comecei a me destacar, decidir jogos e fomos campeões do primeiro turno em cima do Sousa”, lembra.

O Trovão não temia ninguém. E fez frente aos favoritos, Treze, Botafogo-PB e Campinense. No segundo turno, se classificou novamente para o mata-mata, avançou para a decisão, mas acabou perdendo para o Alvinegro da Estrela Vermelha, que forçou a final geral do Campeonato Paraibano.

Lamar já era o maestro do Trovão Azul. Quase sempre armando as jogadas para o artilheiro daquele estadual, Paulinho Guerreiro, seu conterrâneo. Fez um grande estadual, sendo um dos melhores meias do torneio. Chamou atenção do Botafogo-PB, que acabou batendo o Atlético de Cajazeiras de Lamar na final e ficando com a taça.

“Eu arrebentei nos jogos contra o Botafogo-PB. Na mesma semana que perdemos o título para o Belo, me ligaram para fechar com o clube. O Botafogo-PB era um timaço e íamos jogar a Série C do Campeonato Brasileiro. O Botafogo-PB montou um grande time e chegamos até o quadrangular final”, conta o ex-meia.