Publicada em 01 de agosto de 2017 - 13:53

Decreto assinado pelo governador estabelece novo regime fiscal para o setor produtivo de confecção na região do sertão da Paraíba

Pleito era uma antiga reivindicação do setor têxtil defendida pelo deputado Jeová Campos desde seu primeiro mandato na ALPB              O governador […]

Deputado Jeová Campos sempre defendeu a adoção de alíquotas diferenciadas para o setor têxtil do sertãoPleito era uma antiga reivindicação do setor têxtil defendida pelo deputado Jeová Campos desde seu primeiro mandato na ALPB

             O governador Ricardo Coutinho já assinou o decreto que redefine o regime fiscal do setor produtivo de confecção no sertão paraibano. A notícia foi dita pelo governador ao deputado estadual Jeová Campos, neste sábado (30). O parlamentar, que desde seu primeiro mandato solicitava uma diferenciação tributária para o setor, comemorou a grande notícia. “Esse é um divisor de águas para o setor na região”, disse Jeová. Com a nova regra, a alíquota do ICMS foi reduzida para 2%. O lançamento oficial do Plano de Desenvolvimento para a região, que inclui entre outras ações essa redução  de alíquota do imposto, será feito em Cajazeiras, nos próximos dias, com a presença do chefe do executivo estadual.

            Para o deputado, o novo regime fiscal significa a construção de um novo caminho e um novo tempo para o sertão paraibano. “Esse novo regime fiscal vai possibilitar a abertura de muitos postos de trabalho, a geração de renda e trabalho numa região muito necessitada do estado e que tem uma vocação natural para a confecção. Será um estimulo e tanto e estou muito feliz com essa conquista, que foi uma das principais bandeiras de luta de meu primeiro mandato na ALPB e continuou sendo prioridade na legislatura atual”, destaca o deputado.

            Segundo Jeová, ele fará um pronunciamento a respeito da importância e repercussões positivas desta iniciativa na tribuna da Assembleia, nesta terça-feira (01), na retomada dos trabalhos da Casa após o recesso. “Com bem me disse o governador, eu fui um lutador para que esse regime tributário fosse adotado porque sei a dimensão que essa iniciativa tem para a região. Isso possibilitará desenvolvimento e progresso, já que o setor têxtil da região terá condições agora de não mais ser apenas um revendedor de mercadorias produzidas em outros estados, mas um produtor de bons produtos no segmento têxtil”, destaca Jeová.