Publicada em 12 de junho de 2019 - 16:57

Dra. Paula participa de debate na ALPB sobre ações de combate à mortalidade materna na Paraíba

Durante reunião realizada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), nesta terça-feira (11), para tratar de questões referentes à saúde da […]

paulaalpbDurante reunião realizada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), nesta terça-feira (11), para tratar de questões referentes à saúde da mulher, em especial a mortalidade materna, a deputada Dra. Paula Francinete (PP) defendeu a realização de outros encontros, para extrair um projeto sobre formação de uma rede de atenção materno-infantil, para que todas as mulheres tenham um acompanhamento especial. O evento, proposto pela deputada Pollyanna Dutra (PSB), contou com a presença de profissionais da medicina e representantes de órgãos de saúde do estado.
Dra. Paula informou que, durante o encontro, ocorreu troca de informação entre os participantes, sobre o assunto em questão. “É uma assunto complexo, porque são vários fatores ligados à mortalidade materna. Mas, se tiver um projeto de gestão, de políticas públicas voltadas a atender a todos os níveis de saúde, antes mesmo da gravidez, tais como atenção básica, medicação, exames, a gente com certeza vai evitar a morte materna”, declarou a deputada.
A título de sugestão de enfrentamento a questão, a parlamentar lembrou o trabalho realizada por ela, quando secretária municipal de Saúde em Cajazeiras. “Nós temos um grande exemplo, na cidade de Cajazeiras, no ano de 2017, quando não houve um caso sequer de mortalidade materna. Não sei hoje, não tenho estatística. Mas 2017, houve uma integração, uma atenção integrada e especial à mulher a partir do início da gravidez”, comentou.
Depoimentos – O presidente do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), Roberto Magliano, disse que a Paraíba é um dos estados do Brasil onde o índice de mortalidade materna está mais elevado. “É preciso que se faça esse enfrentamento. Então, nesse contexto, eu parabenizo a Assembleia, por trazer esse assunto à baila, porque, sem dúvida, se todos nós nos unirmos será possível fazer com que ela se reduza”, afirmou.
Já a coordenadora da Saúde da Mulher da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Fátima Morais, destacou a importância da articulação com os municípios para enfrentar o tema. “Estamos finalizando um plano de combate e prevenção da mortalidade materna com união de forças das gestões municipais, pois o Estado, por si só, não consegue reduzir esse índice, até porque as ações são desenvolvidas pelos municípios. Então, temos que ter essa parceria e corresponsabilidade para que a gente consiga ter sucesso nessa luta”, finalizou.
Presença – Também participaram da reunião os deputados Chió, Dr. Érico, e Nabor Wanderley; e o médico obstetra Eduardo Fonseca.