Cajazeiras/PB quarta-feira , 1 de dezembro de 2021

Geraldo Medeiros

Geraldo Medeiros avalia novo decreto e diz que pessoas com comorbidades serão as próximas a serem vacinadas

Em entrevista ao Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan, o secretário estadual de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, avaliou as novas […]

Em entrevista ao Arapuan Verdade, da Rádio Arapuan, o secretário estadual de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, avaliou as novas medidas anunciadas pelo governo do estado que estão em vigor a partir desta segunda-feira (5) e adiantou que nas próximas semanas, o próximo grupo prioritário a ser contemplado com a vacinação contra a Covid-19 será, conforme o Plano Nacional de Imunização, pessoas com comorbidades.

“Terminada a vacinação 100% desse grupo prioritário [idosos acima dos 60 anos], nós teremos aquele brasileiro e paraibano que tem doenças associadas, e lá no Programa Nacional de Imunização é especificado todas doenças. Haverá a necessidade de um atestado médico corroborando a existência dessa doença e não será qualquer doença, apenas aquelas especificadas no PNI”, respondeu Geraldo.

Segundo o PNI, as pessoas com comorbidades que serão priorizadas na vacinação serão aquelas entre 18 a 59 anos com uma ou mais das seguintes comorbidades: diabetes; pneumopatias; hipertensão; insuficiência cardíaca, hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva; síndromes; coronarianas; valvopatias; miocardiopartias e pericardiopatias; aneurismas; arritmias cardíacas; doença cerebrovascular; doença renal crônica; anemia falciforme; obesidade mórbida; e síndrome de down. Clique aqui e confira nas páginas 20 e 21 do PNI para saber de todos os detalhes das comorbidades.

Novo decreto

Questionado acerca de quais critérios o Estado adotou para flexibilizar as atividades como foi feito no último decreto, o secretário respondeu que o Estado passou a detectar uma queda do número de mortes e casos nas últimas semanas, reflexo da primeira vez em que foi adotado o toque de recolher na Paraíba.

Com isso, somado à “paralização” de quase dez dias devido à antecipação de feriados durante a última semana, a expectativa é de que os números baixem cada vez mais, o que possibilita essa flexibilização. Ele também citou a ampliação dos leitos de UTI como fator importante.

Polêmica Paraíba