Publicada em 24 de dezembro de 2018 - 12:58

João Azevedo deverá levar em conta aliados que não conseguiram assento na Assembleia Legislativa

O governador diplomado João Azevedo (PSB) deverá anunciar nos próximos dias os demais nomes que vão compor seu governo, a […]

Colagem-sem-títuloO governador diplomado João Azevedo (PSB) deverá anunciar nos próximos dias os demais nomes que vão compor seu governo, a partir de 01 de janeiro próximo, tanto nas secretarias quanto em cargos importantes do Executivo.

Nos bastidores, ventila-se a possibilidade de indicação de alguns aliados que não conseguiram um assento na próxima legislatura da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

A reportagem foi informada por uma fonte próxima ao novo Governo, que os nomes de Trocolli Junior (Podemos), que ficou na terceira suplência da coligação ‘A Força do Trabalho 3’, e Arthurzinho Cunha Lima (Podemos) estão sendo aventados para a Secretaria de Esporte.

Lindolfo Pires (Podemos), que ficou na segunda suplência da coligação ‘A Força do Trabalho 3’, poderá ser indicado para Cinep (Companhia de Desenvolvimento da Paraíba), que é vinculada à Secretaria de Turismo e trabalha os assuntos relacionados ao desenvolvimento industrial.

A articulação política do governo pode ficar nas mãos do deputado estadual reeleito Genival Matias (Avante). Nesse caso, o objetivo seria abrir espaço para que o deputado estadual Anísio Maia (PT), que ficou na primeira suplência da coligação ‘A Força do Trabalho IV’, possa permanecer na Casa de Epitácio Pessoa.

Fontes ligadas ao Governo têm dito que a demora na indicação para essas e outras pastas do Governo acontece, em parte, justamente porque alguns desses nomes ainda não definiram se aceitam ou não o convite.

A reportagem ligou para os possíveis indicados, mas somente o deputado Anísio Maia atendeu a ligação. À reportagem, ele reafirmou que as tratativas para que ele continue na Assembleia estão acontecendo, mas ressaltou que os entendimentos estão sendo firmados com a Presidência Estadual do PT.  “Está havendo tratativas. Não há empecilho, é algo plenamente possível”, afirmou.

 

 

Polêmica PB