Publicada em 11 de abril de 2018 - 19:25

Justiça determina leilão de prédio histórico de Cajazeiras, e Câmara de Vereadores tenta evitar

Sem dúvida a Igreja Católica desempenha papel fundamental no desenvolvimento de Cajazeiras. Ao longo dos anos vários são os feitos que […]

crculo-operrio-2Sem dúvida a Igreja Católica desempenha papel fundamental no desenvolvimento de Cajazeiras. Ao longo dos anos vários são os feitos que confirmam esta afirmação. Exemplo disso é o Círculo Operário.

Criado no ano de 1925, na gestão do primeiro bispo da Diocese, Dom Moisés Coelho, o movimento agremiava trabalhadores que eram fundamentados na doutrina católica. Ao mesmo tempo, atividades sociais eram desenvolvidas atraindo a sociedade.

Prestes a completar 93 anos de existência, uma decisão judicial causou espanto na cidade. A Justiça determinou que o prédio onde fica a sede do Círculo Operário fosse a leilão nesta quinta (12).

De acordo com o presidente da entidade, o advogado Antônio Pereira dos Anjos, o Totonho, o motivo da ação é para pagamento de uma indenização por danos morais para uma pessoa que ele preferiu não mencionar.

“Ocorreram várias tentativas de se fazer um acordo, mas elas foram refutadas pelos advogados da parte contrária. A gente procurava os advogados e eles não passavam uma notícia coesa para nós, então por isso ficamos tristes pela forma como está sendo conduzido o processo. Mas estamos aqui com toda energia e força para defender o patrimônio cultural de Cajazeiras”.

Por outro lado, sabendo da importância histórica do prédio, a Câmara Municipal de Cajazeirasaprovou em tempo hábil um decreto legislativo que torna a sede do Círculo Operário um patrimônio histórico e cultural da cidade, a fim de evitar que o prédio seja leiloado.

“Eu sei que a questão está ganha. Mas a gente vai recorrer a outros recursos . A gente vai fazer alguma coisa para o Círculo Operário não perder essa sede. Eu peço à comunidade de Cajazeirasque se junte a nós nesse momento difícil”, disse o presidente Totonho.