Publicada em 21 de julho de 2019 - 12:31

Justiça do Ceará mantém prisão de médico suspeito de abusar de mulheres e filmar crimes

A Justiça do Ceará manteve a prisão do médico e prefeito afastado de Uruburetama José Hilson Paiva, 70 anos, suspeito […]

prefA Justiça do Ceará manteve a prisão do médico e prefeito afastado de Uruburetama José Hilson Paiva, 70 anos, suspeito de abuso sexual contra pacientes e filmar os crimes. Ele passou por uma audiência de custódia, neste sábado (20), na Comarca de Itarema, município no interior do Ceará.

Ao sair da audiência de custódia, José Hilson Paiva declarou que os abusos sexuais registrados em vídeos feitos por ele mesmo durante consultas médicas eram relações em sua “maior parte consentidas”. O médico também pediu desculpas “ao país e ao mundo” e diz que “não sabe explicar” por que gravava os vídeos e cometia os atos.

A audiência de custódia não entrou no mérito dos crimes sexuais, mas a defesa de José Hilson pediu a prisão domiciliar alegando que ele tem problemas cardíacos e doença na próstata. A Justiça, porém, não aceitou a solicitação por ainda não haver anexado ao processo nenhum documento que comprove o estado de saúde do médico. A defesa do prefeito afastado afirmou também que entrará com pedido de habeas corpus na próxima semana pedindo a soltura dele.

O médico e prefeito afastado é suspeito de cometer crimes sexuais contra, pelo menos, 17 mulheres. Ele começou a ser ouvido pelo juiz da cidade de Cruz, neste sábado, por volta das 11h30, e deixou o local cerca de 12h15 em direção a Fortaleza, onde ficará detido na Delegacia de Capturas.

G1 apurou que Paiva saiu sob escolta da Delegacia de Capturas, em Fortaleza, ainda no início da manhã deste sábado (20) rumo ao interior do estado. O prefeito afastado da atual gestão de Uruburetama foi preso na tarde dessa sexta-feira (19), após se entregar às autoridades e se apresentar na sede da Superintendência da Polícia Civil do Ceará.

G1