Cajazeiras/PB domingo , 28 de novembro de 2021

Sessão

Marcos Barros encerra sessão quando vereador Jucinério fazia denúncia grave contra vereadora que não pôde se pronunciar

A sessão da Câmara Municipal de Cajazeiras da última segunda-feira (07), foi concluída bem antes do previsto. No momento que […]

jucinerio1

Imagem Diário do Sertão

A sessão da Câmara Municipal de Cajazeiras da última segunda-feira (07), foi concluída bem antes do previsto. No momento que o vereador Jucinério Félix (PPS) usava a tribuna e contava um fato ocorrido na quinta-feira (03), a sessão foi encerrada pelo vereador Marcos Barros (PSB), atual vice-presidente que assumia a presidência na ausência do vereador Nilsinho.

O encerramento da sessão ocorreu após algumas pessoas se manifestarem no auditório. O presidente em exercício ameaçou chamar a policia e no momento que foi questionado que aquela era a casa do povo, simplesmente disse que ali não era pra se fazer bagunça e declarou a sessão encerrada.

A atitude de Marcos Barros foi contestada pelos presentes, inclusive pessoas que não tinha nada haver com as manifestações ocorridas que lamentaram o fato e advertiram que caso o vereador seja eleito presidente a partir de janeiro certamente usará o autoritarismo naquela casa legislativa.

Sobre a denúncia feita pelo vereador Jucinério Félix, o parlamentar revelou que na quinta-feira (03), recebeu um telefone informando que estava sendo retirado da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano um veículo carregado de colchões e cobertores. De imediato, o vereador disse que se dirigiu até o local e ficou observando a ação dos funcionários que concluía a carga. O parlamentar relatou que seguiu o carro que foi até a Rua Santo Antônio estacionando na residência da vereadora Léa Silva (DEM). O vereador relatou ainda que foi até onde estava sendo descarregado e questionou o ato. De imediato, o veículo retornou para a secretaria.

Durante o pronunciamento do vereador, Léa Silva escutava atentamente aguardando o momento para se pronunciar e praticar sua defesa naquela casa legislativa. No entanto, a parlamentar ficou prejudicada com o encerramento da sessão anunciada pelo presidente interino Marcos Barros.

O outro lado

Após o encerramento da sessão, a vereadora alegou em off para alguns companheiros que era inocente e que aquilo era uma denúncia caluniosa. Procurada por alguns membros da imprensa, ela disse que só falaria perante a Justiça.