Publicada em 02 de maio de 2012 - 9:23

Faculdade Santa Maria, de Cajazeiras, é a primeira depois de 5 anos, com novo curso de Medicina

Com voto do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a Faculdade Santa Maria, de Cajazeiras, conquistou a condição de primeira instituição […]

Com voto do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a Faculdade Santa Maria, de Cajazeiras, conquistou a condição de primeira instituição de ensino privado do Pais a ter aprovada a liberação de novo curso de Medicina, após cinco anos sem que o Ministério da Educação/Saúde admitissem essa condição em face de problemas registrados em alguns estados.

A autorização aconteceu na última reunião do Conselho Nacional de Saúde, em Brasília, quando o pedido da FSM foi avaliado já constando de parecer técnico favorável do Ministério da Educação e, portanto, averiguação “in loco” de equipe especializada. O ministro Alexandre Padilha fez a argumentação e pediu aos demais conselheiros que seguissem seu posicionamento o que se deu dessa forma.

Até a semana passada, todos os pedidos formulados por faculdades de diversos estados no País estavam sendo negados pelo Conselho Nacional de Saúde.

QUEM É – A Faculdade Santa Maria é na conjuntura do ensino privado de terceiro grau uma das mais expressivas instituições do Estado da Paraiba funcionando com seu Campus na cidade de Cajazeiras atraindo estudantes dos diversos estados nordestinos.

Com dez anos de atuação dispõe de sete cursos de graduação – Biomédica, Farmácia, Psicologia, Enfermagem, Fisioterapia, Administração e Serviço Social, além de cursos de Pósw – Graduação (latus sensu).

PRIMEIRO VESTIBULAR – De acordo com o Comissão de Escolaridade da FSM, o processo de construção do Vestibular para o preenchimento de 60 vagas começa a ser elaborado a partir da próxima quarta-feira devendo em breve ter sua data anunciada no site da faculdade e em portais do Nordeste.

SALDO E CONSEQUÊNCIA – A reitora da Faculdade Santa Maria, Ana Goldfarb, considera a decisão do Conselho Nacional de Saúde como um atestado de que a instituição prima por qualidade e gera um marco histórico no interior do Nordeste expandindo conhecimento na formação de novas gerações.
 

- Além de tudo, a existência do primeiro curso de Medicina no Alto Sertão numa instituição de ensino privado amplia nossa responsabilidade e a convicção de que vamos promover qualidade na formação e prestação de serviços na saúde de nosso País – concluiu.

Redação CZN com assessoria