Cajazeiras/PB sábado , 27 de novembro de 2021

Capturado

Motorista que matou mulher a tiros em Mossoró foi preso no Terminal Rodoviário de Cajazeiras pela PRF

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (28), o motorista Lenilson Lopes de Freitas, 50 anos, acusado de […]

Acusado e sua ex-mulher

Acusado e sua ex-mulher

A Polícia Rodoviária Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (28), o motorista Lenilson Lopes de Freitas, 50 anos, acusado de assassinar a tiros a sua ex-mulher em Mossoró no Rio Grande do Norte. A prisão ocorreu após patrulheiros da PRF verificar que existia contra o passageiro da empresa Guanabara um Mandado de Prisão expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Mossoró. O acusado seguia viajem no ônibus da Guanabara de placa OSE 5753 – CE que fazia a linha Goiânia a Natal. Os patrulheiros tiveram o apoio da Polícia Militar. Com o acusado foi apreendido a arma utilizada no crime.

Segundo declarações de Lenilson Lopes, o mesmo retornava para Mossoró com objetivo de se entregar a polícia. Ele disse que havia combinado de ser entregar através um irmão.

O preso foi conduzido a Delegacia de Polícia onde foi entregue a autoridade policial e será transferido a Mossoró.

 

O Crime

O acusado Lenilson Lopes de Freitas assassinou sua ex-mulher Elaine Klédina Bezerra do Nascimento, 38 anos, no dia 05 de agosto deste ano com dois tiros de revolver calibre 38 dentro da sua própria casa no Condomínio Alvorada no Bairro Malvinas.

Após o crime o acusado fugiu livrando o flagrante, vindo se apresentar cinco dias depois assumindo o crime. No seu depoimento ele disse que teria ido a residência de sua ex-mulher para tentar reatar o seu relacionamento, e não tinha intenção de matar.

O depoimento do acusado não convenceu a delegada Liana Aragão, titular da Delegacia de Homicídios que questionou: “Se não queria matar sua ex-mulher, porque foi na casa dela armado de revolver?”.  Após prestar depoimento ele foi liberado, haja visto que, apesar da delegada ter solicitado a prisão temporária dele, a justiça ainda não havia expedido.

Redação Portal CZN