Publicada em 03 de outubro de 2019 - 17:44

Quase 300 veículos roubados são apreendidos em operação da PRF na PB, no PI e MT

Quase 300 veículos que haviam sido roubados foram recuperados e 166 pessoas foram presas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante […]

prfoperacaoQuase 300 veículos que haviam sido roubados foram recuperados e 166 pessoas foram presas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante a quinta fase da Operação Hircus, realizada simultaneamente na Paraíba, no Piauí e Mato Grosso, ao longo de sete dias. Uma coletiva de imprensa sobre a ação na Paraíba está marcada para esta quinta-feira (3).

Os três estados foram escolhidos por serem locais em que a PRF identificou altos índices de furtos, roubos e adulteração de veículos. Ao todo, 281 veículos foram apreendidos.

De acordo com o inspetor João Paulo Moura, durante a operação a PRF analisou diversos fatores que identificam os veículos, como peças e documentos. “Pra checar a originalidade desses itens, pra gente tentar identificar se o veículo é roubado ou se pelo menos algum agregado é roubado”, disse.

No município de Teixeira, no Sertão paraibano, por exemplo, uma caminhonete com placa clonada foi apreendida. Já em Ingá, no Agreste do estado, duas motos montadas com partes de várias outras foram encontradas pela PRF.

O delegado de Polícia Civil da cidade de Teixeira, Clenaldo Queiroz, explicou que os veículos que estiverem regularizados devem ser entregues aos proprietários, enquanto os outros serão encaminhados para um dos pátios da Polícia Rodoviária Federal.

O próximo passo, segundo o inspetor Cristiano Mendonça, é investigar se quem comprou os veículos sabia o produto era roubado. “Se ele tivesse conhecimento que se tratava de algo ilícito poderá responder por receptação, que prevê pena de um a quatro anos de reclusão. E, caso ele não tenha conhecimento, se ele adquiriu de boa fé, poderá responder por receptação culposa que tem uma previsão de um mês a um ano de detenção”, afirmou.

A operação ocorreu por meio de uma integração entre a Polícia Rodoviária Federal e as secretarias de segurança de cada estado. O diretor de operações da PRF, o inspetor João Francisco, destacou que fraudes que envolvem veículos, como roubos e furtos, são importantes fontes de financiamento para o crime organizado.

G1 PB