Publicada em 05 de julho de 2017 - 14:37

Senador Raimundo Lira aclamado como novo líder do PMDB no Senado

O senador paraibano Raimundo Lira foi escolhido, por aclamação, como novo líder do PMDB no Senado, substituindo a Renan Calheiros […]

Plenário do SenadoO senador paraibano Raimundo Lira foi escolhido, por aclamação, como novo líder do PMDB no Senado, substituindo a Renan Calheiros (AL), e afirmou na noite de ontem que o seu objetivo é harmonizar a bancada e expressar o pensamento da maioria. Renan, que deixou a liderança na última semana, após divergências com os colegas de bancada em relação às reformas propostas pelo governo Temer, das quais é forte crítico, elogiou a escolha de Lira. “Eu acho que é um nome que sistematiza a variedade de correntes do PMDB. Ele pode muito bem desempenhar esse papel, que é relevante para o Brasil”.

Quem também se mostrou satisfeito com a escolha de Raimundo Lira foi o presidente nacional do partido e líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR). Para ele, a escolha de Lira demonstrou “a maturidade da bancada”. Jucá acrescentou: “O senador Raimundo Lira foi aclamado líder, eleito por unanimidade e, portanto, tem todas as condições para conduzir bem a bancada nessa fase de transição e de desafios que o país está enfrentando”. Por se tratar do partido do presidente Michel Temer, os peemedebistas passaram a buscar nos últimos dias um perfil que tivesse bom relacionamento com o presidente e que apoiasse as reformas trabalhista e da Previdência Social.

Para Lira, sua missão é representar a maioria dos integrantes, mas sem deixar de levar em conta o que diz a minoria. “Nós temos que ter sempre a convicção de que nós não vamos liderar uma bancada com pensamento único. São 22 senadores cada um tem a sua ideia, o seu pensamento, o seu direcionamento. O nosso objetivo é harmonizar a bancada no sentido de sempre, em todos os momentos, refletir a maioria, mas sem deixar de levar em consideração, também, aquelas linhas de pensamento divergentes”.

Segundo ele, a responsabilidade é grande, já que foi eleito por unanimidade. Um dos desafios à frente é a votação da Reforma Trabalhista, marcada para a próxima terça-feira (11). Apesar de não ter, ainda, uma previsão de quantos senadores vão votar a favor do texto, o novo líder diz que a maioria do partido é favorável e que esta é a posição que vai ser expressa pela liderança.

 

 

 

Nonato Guedes com informações da Agência Senado