Publicada em 30 de março de 2011 - 1:40

Tribunal do Júri condena a 7 anos e 9 meses de detenção motorista que atropelou e matou a jovem Jandira Lordão

O Tribunal do Júri da Comarca de Cajazeiras realizou nesta terça-feira (29), o julgamento de Pedro Herculano Leite acusado de […]

O Tribunal do Júri da Comarca de Cajazeiras realizou nesta terça-feira (29), o julgamento de Pedro Herculano Leite acusado de ocasionar acidente de trânsito, onde atropelou vários jovens, tendo como vítima fatal a adolescente Jandira Lordão, 15 anos de idade. O fato aconteceu na Avenida Julio Marques do Nascimento no dia 03 de Janeiro de 2003. No acidente ficaram ainda feridos: Muriel Tereza Olegário, Jéssica Venceslau Alves, Fernanda Dantas Rolim e Pedro Tiago de Abreu Cardoso.

Após 10 horas de julgamento, a defesa e acusação utilizaram o tempo necessário para apresentar seus argumentos e convencer o conselho de sentença formado por sete jurados. O Juiz que presidiu a sessão Dr. Djaci Soares leu a sentença para os presentes que lotaram o auditório do Fórum Ferreira Junior.

A defesa formada pelos advogados: Ozael da Costa Fernandes, Jeová Vieira Campos, Rogério Bezerra, Bóris Trindade e José Gonçalves Rolim apresentaram argumentos suficientes para a desqualificação de homicídio doloso para homicídio culposo (quando não tem intenção de matar) quanto à vítima Jandira Lacerda Lordão, e lesão corporal com relação às demais vítimas do acidente.  

O réu teve a pena aplicada baseada na lei 9.503/97 do código de trânsito Brasileiro, quanto a vítima Jandira Lacerda Lordão em 4 anos de detenção. Quanto as demais vítimas, o réu foi condenado a pena de 1 ano e 8 meses, mais 9 meses, e mais 15 meses de detenção perfazendo 3 anos e 9 meses. Ao final, Pedro Herculano foi condenado a 7 anos e 9 meses de detenção em regime semi aberto na Cadeia Pública local.  O réu também foi condenado a perder o direito de dirigir pelo período igual à pena que recebeu.

O promotor Aristóteles de Santana representante do Ministério Público que atuou na acusação do réu, não concordando com o resultado do julgamento, por entender que a decisão foi manifestada contrária as provas dos autos, decidiu recorrer da sentença do Juiz.  

Ainda atuaram como assistentes de acusação os advogados Paulo Sabino de Santana e Edmundo Lacerda.

 Redação Portal CZN