Cajazeiras/PB sábado , 24 de outubro de 2020

Cajazeiras

Vereador emita nota desmente denuncia de suposto envolvimento em crime de evasão de receita. Entenda ainda o porquê de FAFIC não está ligada este fato.

O vereador Lindberg Lira de Souza, emitiu nota sobre uma denúncia anônima ao Tribunal de Contas do Estado, datada de […]

O vereador Lindberg Lira de Souza, emitiu nota sobre uma denúncia anônima ao Tribunal de Contas do Estado, datada de 04 de fevereiro do ano em curso, citando seu nome em ato de suposto Crime contra a ordem tributária, se trata de crime de evasão de receita envolvendo algumas instituições de ensino superior da terra do padre Rolim.

Segundo a nota, o parlamentar prova sem dificuldades, que não existe qualquer possibilidade de ele ter sido participe deste suposto crime. É importante também, observamos que um ponto descrito por ele, também serve para isentar outras duas pessoas, que estão segundo o processo de número 02071/20 citadas na denúncia, ou seja, os cidadãos, Essuelio do boi na brasa e Junior Sousa do material de construção Águia, bem como a instituição FAFIC é ligada á igreja católica, por tanto, não poderia estar entre as entidades que eventualmente tenham agido em desacordo com a lei.

O QUE DIZ A GESTÃO

Já por outro lado, a gestão reafirma, que não houve até esta data qualquer renúncia de receita. Ainda segundo as informações, os advogados preparam toda a documentação que será enviada nos próximos dias ao TCE, contendo as informações que provam a não ligação da gestão do prefeito Zé Aldemir com este fato.

Confira a nota e a denuncia

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Me pronuncio através desta nota de esclarecimento, após tomar conhecimento de uma matéria, a qual relata  uma notícia infundada e sem veracidade, sobre um suposto crime de  evasão de receitas, por meio do benefício de descontos de mensalidades, durante meu período de formação em Direito, na FAFIC, em troca de desconto nos Impostos Municipais- ISS da Instituição de Ensino Superior, a qual estava regularmente matriculado.

Ocorre que a minha conclusão no Curso de Bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais – Direito ocorreu no ano de 2012, enquanto a gestão citada na matéria, assumiu o mandato em janeiro de 2013, ficando assim impossível de ser custeado pela Gestão Municipal que só iniciou-se em 2013.

A forma caluniosa como a denúncia foi construída, não averiguou detalhes como ano de conclusão, e a relação da Instituição de Ensino Superior, com o Poder Público Municipal, sendo uma Instituição que zela pela ética, respeito e autonomia.

Ademais, o pagamento das semestralidades durante os 05 (cinco) anos do curso foi custeado pelos meus próprios recursos, situação financeira que pode ser devidamente comprovada pela Instituição de Ensino.

Vale salientar que o meu primeiro mandato iniciou-se em 1º de janeiro de 2013, logo, posterior à conclusão do meu curso que fora em 2012.

É de grande importância que, nos tempos em que hoje vivemos, na era digital, onde tudo se propaga de forma rápida, que para proceder a ação do jornalismo correto e imparcial, deve-se ouvir as partes envolvidas, checar dados e informações, para somente, após, divulgar a notícia aos leitores.

Destarte, deixo claro que, minha história, carreira profissional, e Vereador no exercício do segundo mandato, em uma das cidades mais importantes do Estado da Paraíba, sempre foi, e sempre será pautada na verdade e na transparência. Informo também, que diante da situação exposta, já sigo tomando todas as medidas judiciais cabíveis.

Lindberg Lira de Souza

Vereador